PRF em Ação

PRF em Ação (68)

Segmentos e Temas:

Agentes Federais da PRF em Mato Grosso recuperam 5 veículos em um final de semana

Agentes Federais da PRF em Mato Grosso recuperam 5 veículos em um final de semana (0)

O final de semana foi agitado para a PRF em Mato Grosso, com excelentes ações das equipes no estado, resultando na recuperação de 5 veículos.  

Na sexta-feira (09) em Pontes e Lacerda/MT, por volta das 19 horas, a equipe da PRF abordou uma caminhonete Chevrolet/S10 Ltz, e logo percebeu que a placa ostentada retornava a um veículo diferente.

O condutor, homem de 23 anos, quando desceu do veículo, demonstrou atitudes evasivas, não atendendo às ordens dos policiais e apresentando movimentação em direção ao matagal que margeava a rodovia, atitude essa que aumentava ainda mais as suspeitas em relação ao ilícito.

Após análise, foi possível identificar a verdadeira placa da caminhonete, que possuía queixa de roubo na cidade de Várzea Grande/MT.

Poucos minutos depois de realizar a prisão do condutor da Chevrolet/S10 Ltz, outro veículo, um Ford/F4000 G, cor branca, parou à aproximadamente 50 metros da equipe, momento em que 2 elementos que ocupavam a F4000 abandonaram o veículo e se evadiram para o matagal. A equipe realizou buscas na região, mas eles não foram localizados. Em verificação dos elementos identificadores, foi possível constatar que o veículo possuía registro de ocorrência de furto em Várzea Grande/MT.

Em Rondonópolis/MT no Domingo (11), por volta das 15 hs, um veículo Fiat/Pálio, conduzido por uma mulher de 28 anos, foi abordado e já na sequência a equipe identificou indícios de adulteração, em análise, foi possível identificar que se tratava de um carro com ocorrência de Roubo/Furto, no município de Goiânia/GO, em 2009.

A condutora alegou que comprou o veículo há uma semana de seu ex-cunhado em Rondonópolis/MT e desconhecia tal fato.

Já em Primavera do Leste/MT, no domingo (11), por volta das 13 hs,  a  equipe foi acionada pela Polícia Militar sobre um acidente no km 157 da BR 070, no município de General Carneiro/MT. Um usuário da via teria relatado aos PMs, que o condutor do veículo acidentado (uma caminhonete S10 branca teria capotado no km 157) recusou atendimento e se desesperou quando foi informado que a PRF havia sido acionada, o que levantou a suspeita de alguma atividade ilícita dos envolvidos. O usuário relatou ainda aos PMs que um segundo veículo, FIAT/Toro, cor branca, teria dado carona ao condutor do veículo acidentado, com destino a Primavera do Leste/MT.

Os PRFs que se deslocavam para verificar o acidente interceptaram o veículo FIAT/Toro no km 267 da BR 070. A caminhonete era conduzida por um homem de 29 anos, que relatou aos policiais que foi realizar serviços elétricos na cidade de Barra do Garças/MT e que estava retornado com o veículo de um amigo para a cidade de Cuiabá/MT, ele apresentou nervosismo, e contava diversas versões diferentes sobre o motivo de ter ido a cidade de Barra do Garças/MT e sobre a propriedade do veículo, diante das contradições dele, a equipe realizou uma primeira identificação veicular no local que já encontrou diversos indícios de adulteração do veicular.

O referido condutor admitiu posteriormente que se tratava de um veículo adulterado e que receberia certa quantia para realizar o transporte do veículo da cidade de Barra do Garças/MT até Cuiabá/MT, também disse que o condutor do veículo S10, que se acidentou, estaria próximo a uma lanchonete que fica no km 256 da BR 070;  ao chegar no local procurando o condutor, um indivíduo (homem de 29 anos)  ao ver a equipe PRF correu em direção a uma parte lindeira da rodovia com vegetação elevada, ficando lá deitado em silêncio, tentando ficar escondido, porém os policiais o encontraram.

Esse condutor também admitiu que receberia certa quantia para realizar o transporte da S10 da cidade de Barra do Garças/MT até o município de Cuiabá/MT.

Todas as ocorrências foram encaminhadas para a Polícia Judiciária de suas respectivas cidades.

 

Fonte: SECOM-PRF/MT

Ver itens ...

O final de semana foi agitado para a PRF em Mato Grosso, com excelentes ações das equipes no estado, resultando na recuperação de 5 veículos.  

Domingo, 11 Abril 2021 08:55

Vasques é o novo DG da PRF

Escrito por

Novo diretor da PRF, Vasques já foi superintendente e secretário

Após aval do ministro e do presidente Jair Bolsonaro, Silvinei Vasques ficará à frente da PRF.

Brasília, 30/03/2021 – O delegado de Polícia Federal Anderson Torres tomou posse, nesta terça-feira (30), como ministro da Justiça e Segurança Pública. A escolha do novo ministro foi anunciada pelo presidente Jair Bolsonaro na segunda-feira (29).

Sexta, 19 Março 2021 12:07

Morre Senador Major Olímpio

Escrito por

Major Olimpio é o terceiro senador a morrer de Covid-19

 

Arolde de Oliveira (PSD-RJ) e José Maranhão (MDB-PB) também tiveram mortes causadas pelo novo coronavírus. Presidente do Senado decretou luto oficial nesta quinta.

 

Com morte cerebral decretada nesta quinta-feira (18), o senador Major Olímpio (SP) é a terceira vítima fatal da Covid-19 entre os parlamentares do Senado desde o início da pandemia.

Olimpio, de 58 anos, estava internado desde o início do mês em um hospital na cidade de São Paulo, mas não resistiu ao agravamento da doença. O senador faria 59 anos no próximo sábado (20).

A morte cerebral foi informada em uma rede social. Na mensagem, a equipe do parlamentar informou que aguardava a confirmação do óbito e a avaliação para possível doação de órgãos.

Em outubro de 2020, morreu no Rio de Janeiro o senador Arolde de Oliveira (PSD-RJ). O político tinha 83 anos e também foi vítima da Covid-19.

O vírus provocou ainda a morte de José Maranhão (MDB-PB), senador mais idoso em atividade à época. Ele tinha 87 anos quando faleceu, no mês passado.

 

Luto oficial

Em razão da morte cerebral de Major Olimpio, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), decretou luto oficial por um dia na Casa.

No ato, Pacheco determinou a suspensão das atividades legislativas e a colocação da bandeira nacional a meio-mastro. Ficaram proibidas quaisquer celebrações, comemorações ou festividades no âmbito do Senado no período, mas mantidas as reuniões internas de trabalho.

 

Suplentes

Para a vaga de Olimpio, deve ser convocado o primeiro suplente do parlamentar. Trata-se do empresário Alexandre Luiz Giordano. Em 2018, Giordano, que também é filiado ao PSL, declarou à Justiça Eleitoral ter R$ 1,5 milhão em bens.

O segundo suplente na chapa é o atual ministro Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia).

Por ocasião da morte dos outros dois senadores durante a pandemia da Covid-19, assumiram vagas no Senado Carlos Portinho (PSD-RJ), suplente de Arolde de Oliveira, e Nilda Gondim (MDB-PB) em substituição a José Maranhão.

 

Fonte: UOL Notícias

Artigo originalmente publicado pelo jornal A Gazeta (ES) no dia 04/02/21

É uma tarefa complexa demonstrar a vocês, prezados leitores, no reduzido espaço de um artigo jornalístico a urgente necessidade de reestruturação e modernização da Segurança Pública e os obstáculos políticos impostos pelos atuais gestores administrativos dessa mencionada atividade estatal, gerando uma “guerra interna” entre os cargos policiais.

Sábado, 27 Fevereiro 2021 01:51

Primeiro caso de covid-19 no Brasil completa um ano

Escrito por

Por Jornal do Brasil

O Brasil identificou a primeira contaminação pelo novo coronavírus no dia 26 de fevereiro de 2020. Linha do tempo mostra enfrentamento da pandemia no país.

O ministro Dias Toffoli, do STF (Supremo Tribunal Federal), decidiu nesta sexta-feira (26) que deve ser anulado qualquer julgamento em que seja levantada a “esdrúxula tese de legítima defesa da honra”.

Segundo o magistrado, caso a defesa de um acusado de feminicídio suscite essa tese, será declarada a nulidade da prova do ato processual ou do Tribunal do Júri no qual o tema estiver em discussão.

A decisão liminar (provisória) do ministro foi dada em uma ação apresentada pelo PDT e será submetida ao colegiado na sessão do plenário virtual que se inicia em 5 de março.

O ministro defendeu que a alteração de diversos procedimentos do Tribunal do Júri aprovada pelo Congresso em 2008 permite a absolvição de réus independentemente das provas que constam nos autos do processo, mas que a medida não abriu margem para a legítima defesa da honra.

“Decorre, pois, da essência do júri que os jurados possam absolver o réu com base na livre convicção e independentemente das teses que foram veiculadas, considerados elementos não jurídicos e extraprocessuais, pois não há como avaliar, nessa etapa, o íntimo dos jurados para concluir pelas razões que os levaram ao veredicto absolutório”, disse.

Há uma divisão no Supremo em relação ao tema. Parte dos ministros entende que cabe recurso contra decisão do júri que absolver em desconexão com as provas, mas outra parte acredita que a decisão é definitiva.

Um processo com repercussão geral reconhecida sobre o tema está em tramitação no STF, o que quer dizer que a decisão da corte a respeito valerá para todos os processos em curso no país.

Ocorre que a interpretação de que não cabe recurso contra o júri levou o Supremo a tomar decisões que abriram margem para inocentar acusados de homicídio com base na legítima defesa da honra.

Em outubro, a Primeira Turma do Supremo rejeitou a realização de um segundo Tribunal do Júri contra um homem que, no primeiro, foi absolvido da acusação de tentar matar a esposa com golpes de faca por imaginar ter sido traído.

Na ocasião, o ministro Alexandre de Moraes divergiu e advertiu para o impacto que o entendimento poderia ter em relação aos episódios de feminicídio.

“Até décadas atrás no Brasil, a legítima defesa da honra era o argumento que mais absolvia os homens violentos que mataram suas namoradas e esposas, o que fez o país campeão de feminicídio”, ressaltou.

O magistrado defendeu a manutenção da decisão de segundo grau do Tribunal de Justiça de Minas Gerais de determinar a realização de novo júri. O tribunal mineiro entendeu que a decisão contrariou as provas dos autos, uma vez que o homem confessou ter tentado matar a mulher porque ela o teria traído.

Moraes e o ministro Luís Roberto Barroso, porém, ficaram vencidos. Prevaleceu o entendimento dos ministros Marco Aurélio, Dias Toffoli e Rosa Weber de que a Constituição assegura a soberania do júri, contra o qual não cabe recurso.

Agora, porém, Toffoli afirmou que, apesar de ser contra a possibilidade de recurso caso a defesa do réu “lance mão, direta ou indiretamente” ou use “qualquer argumento que que induza à tese” da legítima defesa da honra, o ato processual tem que ser declarado nulo.

A celeuma surgiu após o Congresso aprovar em 2008 a absolvição com base em “quesito genérico”. No entendimento de parte do Supremo, a legislação permitiu a absolvição de investigado por clemência, piedade ou compaixão e de forma manifestamente contrária aos indícios presentes nos autos.

O julgamento de Raul Fernando Doca Street, que assassinou Ângela Diniz e, inicialmente, recebeu dois anos de prisão e pôde cumpriu a pena em liberdade por ser réu primário, é geralmente usado como exemplo de necessidade de se haver recurso contra decisão do Tribunal do Júri.

Na ocasião, o advogado Evandro Lins e Silva afirmou que seu cliente tinha agido em legítima defesa da honra e argumentou que Ângela Diniz teria demonstrado comportamentos inadequados que teriam ferido a honra de Doca Street.

O resultado do julgamento, porém, mobilizou o movimento feminista e fez surgir o slogan “Quem ama não mata”. A pressão das mulheres ativistas mudou o cenário e, no segundo Tribunal do Júri, o assassino foi considerado culpado e recebeu pena de 15 anos.

As informações são da FolhaPress

Na linha de frente do combate à criminalidade no país, policiais federais e policiais militares, além de um membro do Ministério Público, reuniram-se para trazer aos leitores a obra "Alpha Bravo Brasil: Crimes Violentos Contra o Patrimônio".

Representantes dos policiais federais, civis e rodoviários federais se reuniram nessa quarta-feira (24) com o deputado Nicoletti (PSL-RR) para debater ajustes no texto da emenda à proposta de Reforma Administrativa (PEC 32/20), que pretende criar, no âmbito da Constituição, direitos e deveres específicos para servidores públicos que atuam na segurança pública.

“A emenda cria todo um regramento da atividade policial e estabelece o Regime Jurídico Específico dos Policiais no Brasil”, explica o diretor jurídico da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Flávio Werneck, que participou da reunião.

O texto prevê direitos e deveres específicos para esses trabalhadores, considerando suas características peculiares como o porte de arma, trabalho em escala ininterrupta de revezamento, uso de viaturas, uniformes e equipamentos especiais, trabalho noturno, nos finais de semana e em feriados, risco constante de vida, dever legal de enfrentar o perigo, dentre outros.

Da reunião com o deputado, ficou acertado que cada entidade fará sugestões e propostas para o texto final da emenda que serão debatidas e reunidas num texto único que será apresentado na próxima quinta-feira (4), às 14 horas, no Sindicato dos Policiais Federais do Distrito Federal (Sindipol-DF).

A etapa seguinte será protocolar a emenda e conseguir a assinatura de pelo menos mais 170 parlamentares. Esse é o número necessário para que a emenda seja discutida na comissão especial que analisará a reforma. Para tanto, a Fenapef conta com a dedicação e empenho de todos os policiais federais.

 

Fonte: Comunicação FENAPEF

Quinta, 25 Fevereiro 2021 10:39

Mulher é presa transportando Maconha e Cocaína em Taxi

Escrito por

Resultado de uma ação conjunta da PRF, PF e PM MT

Facebook

Localização

Contato

SINPRFMT
Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais no Estado Mato Grosso
Rua Major Gama, 921 
Centro Sul
Cuiabá - Mato Grosso
Cep. 78.020-170
Telefone: (65) 3025-4560
WhatsApp: (65) 99953-7349

E-mail: 
secretaria@sinprfmt.com.br